A Implantodontia e Estética Dental pelo Especialista | fotos e video | implante dentario | reabilitação oral

Implantes Dentários – Questões frequentes realizadas a um especialista

Implantes Dentários – Questões frequentes realizadas a um especialista
FacebookEmailShare

A reabilitação oral com implantes dentários é um tratamento que pode mudar radicalmente a vida de pessoas que sofrem pela ausência de um ou mais dentes, portanto costuma gerar muitas dúvidas e curiosidades. Por isso resolvi abordar as questões mais frequentes sobre este assunto, e as respostas sob o meu ponto de vista e experiência profissional.

 

Cirurgia de implantes dentários dói muito?

Normalmente não. Sentir ou não sentir dor é relativo, pois depende de alguns fatores, como a técnica aplicada, a sensibilidade individual de cada paciente, entre outros. Porém não é raro ouvir dos pacientes, muitas vezes submetidos a colocação de vários implantes em um mesmo dia, de que considerou o pós operatório tão tranquilo que nem parecia que tinham sido submetidos à uma cirurgia. De qualquer forma, o cirurgião que realiza a colocação dos implantes receita analgésicos para serem tomados, caso necessário.

 

A cirurgia de implante é demorada?

A duração para colocação de cada pino pode variar entre alguns minutos a 1 hora, dependendo da complexidade do caso.

 

Implante dentário é muito caro?

A colocação de implantes dentários é uma técnica capaz de transformar a vida de uma pessoa. Seja aquela que sofre pela ausência dos dentes e, portanto, não consegue mastigar, falar e sorrir normalmente. Seja aquela que usa dentadura há muitos anos e por diversas vezes já sofreu com uma prótese mau adaptada que machuca. São muitas histórias que já ouvi. Pessoas dizendo que há muito tempo não sabiam o que era sorrir abertamente antes de serem reabilitadas com implantes dentários. Então, dizer que algo é caro ou barato é muito relativo. Tudo depende do que você busca e de como isso vai afetar positivamente a sua vida. Além disso, a colocação de implantes dentários demanda o conhecimento e habilidade de profissionais que dedicaram seu tempo aos estudos (e continuam se dedicando ao longo da carreira), para dominar as técnicas que envolvem, não só a colocação, mas a estabilização e manutenção dos implantes ao longo dos anos.

 

O rosto fica inchado e a gengiva sangra depois da cirurgia?

Normalmente não, mas o cirurgião orienta cada paciente sobre a melhor conduta caso isso ocorra.

 

Os implantes duram pra sempre?

Estudos recentes demonstram que implantes de boa qualidade, que foram bem instalados em pacientes que fazem visitas regulares ao dentista, estão em função há mais de 40 anos em ótimas condições.

 

A osseintegração é a fase mais importante do tratamento com implantes dentários?

Sim. A osseointegração é literalmente a cicatrização inicial do implante. É a fase em que os implantes se integram ao osso para se manterem firmes ao longo dos anos. Um bom cirurgião só indica os implantes dentários quando constata que o organismo do paciente tem condições de fazer a osseointegração. Ainda assim, existem casos que ela não ocorre como o esperado e o implante não se firma. Mas até para estes casos existe solução, o tratamento apenas acaba sendo mais lento.

 

O organismo pode rejeitar o implante ou ele pode sair?

O que pode ocorrer na verdade não é uma rejeição, mas uma má integração do implante com osso. Isso pode ocorrer por diferentes motivos, inclusive por infecção ao redor do implante (periimplantite). Em ambos os casos o implante pode se soltar.

 

Quando um implante cai, não existe mais solução?

Depende do que levou à sua queda. Na maioria dos casos, o implante pode ser recolocado depois de um determinado período de recuperação do osso da região, o que deve ocorrer após alguns meses.

 

Implante Dentário pode causar alergia?

Implantes dentários de boa procedência raramente causam alergia. Porém, os pacientes com alergia ao níquel devem informar seu cirurgião antes de iniciar o tratamento. Atualmente também existem implantes de cerâmica pura, livre de metais.

 

É possível colocar implantes em pessoas com pouco volume ósseo?

Sim, existem implantes de diferentes tamanhos que atendem pessoas com razoável perda óssea. Em casos mais avançados, é possível reconstruir a estrutura com enxertos ósseos. Cada caso e conduta são avaliados individualmente.

 

Qual é a procedência dos materiais usados em enxertos ósseos?

Existem diferentes técnicas de enxerto ósseo. Veja as principais:

  • Enxerto com osso proveniente do próprio paciente, retirado da boca para pequenas reconstruções (realizado no consultório), e da bacia ou do crânio para reconstruções maiores (realizado em ambiente hospitalar).
  • Enxerto com osso proveniente de animais (osso liofilizado bovino).
  • Enxerto com osso proveniente de banco de tecidos humanos (transplante ósseo).
  • Enxerto com materiais sintéticos que estimulam a formação óssea (hidroxiapatita sintética).

Todos os materiais são analisados e submetidos a esterilização a fim de impedir contaminações e rejeições.

 

Enxerto Ósseo é um procedimento difícil?

Não necessariamente, enxertos ósseos existem em variedade de tamanho e técnica. Em alguns casos são feitos em poucos minutos e são pequenos, em outros casos são maiores e podem representar um desafio, que deve ser avaliado pelo implantodontista.

 

Como é constatado se existe volume ósseo suficiente?

Através da realização de uma Tomografia Computadorizada. É um exame radiológico de altíssima precisão e confiabilidade para medição das dimensões ósseas.

 

Qualquer pessoa pode ser tratada com implante e carga imediata?

Não. A pessoa precisa ter volume ósseo suficiente e estar em boas condições de saúde. Pacientes fumantes, diabéticos e com bruxismo, por exemplo, inicialmente não são bons candidatos para a técnica de carga imediata.

 

Quando falta só um dente no fundo da boca é necessário colocar implante?

SIM ! A realidade é que, quanto mais cedo for colocado um implante no local onde houve uma extração dentária, melhor. A falta de um dente pode causar um desequilíbrio em toda a arcada. Se o dente não for substituído logo, o organismo reabsorve o osso local, e essa perda óssea e o remodelamento gengival podem tornar a colocação de implante e prótese um pouco mais complicada no futuro.

 

Implante Dentário causa mau hálito?

Tudo depende da forma como o paciente cuida da higiene oral. Alguns tipos de implantes necessitam de um cuidado especial com a limpeza para evitar o acúmulo de resíduos alimentares. O cirurgião dá as orientações ao paciente de como ele deve realizar a higienização oral logo após a cirurgia e ao longo da vida. Também é fundamental que o paciente retorne ao consultório de 6 em 6 meses (ou a critério do dentista) para realizar uma limpeza profissional. A prótese dentária também precisa de cuidados, assim como a dentição natural.

 

Implante é difícil de limpar?

Não é difícil, mas o paciente precisa se comprometer a manter uma higiene oral adequada, porque a saúde dos implantes também depende disso. Cada modelo de implante e prótese tem sua forma de higienização adequada. Existem até instrumentos exclusivos que auxiliam nesta tarefa. Também cabe ao cirurgião orientar seu paciente.

 

O que fazer se aparecer pus ou alguma secreção no local do implante?

Procurar o dentista que o colocou o quanto antes.

 

O que fazer se o implante ficar com mobilidade?

Procurar o dentista que o colocou o quanto antes.

 

A prótese dentária fica com aparência artificial?

Atualmente trabalhamos com materiais modernos que deixam as próteses cada vez mais parecidas com a dentição natural. É o caso, por exemplo, da prótese de porcelana dental com estrutura interna em Zircônia branca. Esses materiais são bastante estéticos e comparáveis aos dentes na cor, textura e resistência.

 

Só existem implantes de Titânio no mercado?

Não, também existem implantes de cerâmica branca (Zircônia), especialmente indicados para a região anterior, quando a gengiva do paciente é muito fina ou quando o paciente tem alergia ao níquel.

 

Só existe um tamanho de implante?

Existe uma grande variedade de implantes com tamanhos e diâmetros diferentes para atender diferentes necessidades.

 

Diabético pode receber implantes?

O diabético é um paciente que temos que avaliar bem antes de fazer um implante dentário. Os implantes precisam de uma ótima cicatrização para se manterem firmes no lugar, e como sabemos, o paciente com diabetes não controlada tem dificuldade de fazer uma boa cicatrização em qualquer ocasião.

 

Fumante pode receber implantes?

O fumo causa uma alteração na circulação sanguínea e, consequentemente, na oxigenação celular. Essa alteração pode dificultar a cicatrização dos implantes, portanto a incidência de problemas em fumantes é muito maior! Outros problemas que poderiam ocorrer devidos ao fumo:

  •      Perda óssea decorrente da infecção periodontal
  •      Comprometimentos estéticos, como dentes manchados
  •      Maior chance de perder implantes por rejeição
  •      Maior chance de infecção em enxertos ósseos

 

Portanto, o paciente fumante também precisa ser bem avaliado antes de uma cirurgia destas. Para a pessoa que pretende colocar implantes dentários, a melhor e mais urgente recomendação que posso dar é: não fume!

 

Jovem pode receber implantes?

A partir dos 17, 18 anos (que é quando a fase de crescimento ósseo termina), os implantes dentários já podem ser indicados.

 

Qualquer dentista pode colocar Implantes Dentários?

O ideal é que a pessoa realize seus implantes com um Dentista especializado em Implantodontia. Este é o profissional que dedicou pelo menos 3 anos a mais de estudos além da graduação de Odontologia, para dominar as técnicas de colocação, estabilização e manutenção de implantes dentários.

 

É possível fazer implante de todos os dentes, um a um?

Sim é possível, desde que as condições ósseas permitam, o que raramente ocorre. O mais comum é realizar uma prótese fixa suportada por alguns implantes. Cada caso é avaliado individualmente.

 

É possível colocar implante em um local onde tinha infecção/periodontite?

Sim, é possível, desde que a infecção seja bem limpa e controlada para não prejudicar a cicatrização dos implantes. O controle pós operatório também é mais frequente com estes pacientes.

 

Se você tem mais alguma dúvida sobre este assunto, entre em contato conosco através de um dos canais abaixo.

dr-roberto-markarian-msc-doutorado-em-curso-e-especialista_19566829191_m

Dr. Roberto Markarian

PhD em Implantodontia, Especialista em Implantes e Próteses Dentárias 

Coordenador Cientifico da Clínica ImplArt

 

 

FacebookEmailShare

Deixe um comentário

Close