A Implantodontia e Estética Dental pelo Especialista | fotos e video | implante dentario | reabilitação oral

Epilepsia e a Odontologia: Tratamento Dental e implante dentário

Epilepsia e a Odontologia: Tratamento Dental e implante dentário
FacebookEmailShare

Cuidados com a epilepsia na odontologia

Muitas pessoas não sabem, mas a epilepsia pode ser um dos fatores da perda de dentes precocemente ou facilmente. A patologia é caracterizada pelas convulsões. A pessoa possui diversas pertubações neurais que causam o desligamento momentâneo das sinapses, durante cerca de 2 a 5 minutos, que levam à convulsão. O epiléptico pode passar por dois episódios de crises não provocadas com intervalo de no mínimo 24 horas.

 

implante dentario

 

Devido a perda de consciência durante a convulsão, o paciente pode sofrer uma queda grave, o que pode comprometer os dentes por meio de fraturas dentárias, avulsões ou luxações. Em caso da perda do dente, o melhor tratamento é sempre o implante dentário. Em casos de fraturas dentárias também podem ser feitas restaurações e coroas para restabelecer a estética e funcionalidade do dente.

 

Pacientes com epilepsia devem fazer uso constante de anticonvulsivantes, mas por diversos motivos como esquecimento ou falta de recursos para comprar o remédio, as crises tornam-se sucessivas e podem causar a queda dos dentes. Já, o uso constante do anticonvulsivo Hidantal pode causar hiperplasias e hipertrofias gengivais (também chamada de hiperplasia gengival dilantílica) e por isso, o dentista e o médico devem avaliar uma possível troca para outro medicamento que danifique menos os dentes.

Coroa dentaria - dente fraturado Dente Fraturado que necessita reconstrução

 

Para evitar o agravamento do problema e não deixar que a epilepsia seja um agravante da condição dentária, a orientação preventiva de escovação diária, o uso correto do fio dental e a remoção da placa são práticas primordiais para evitar que a hipertrofia e a hiperplasia gengival se agrave e traga mais complicações.

cirurgia_de_implante_dentario

Os paciente epilépticos devem informar sua condição para o dentista, já que não é indicado, por exemplo, o uso de lidocaína como anestésico. E para evitar constrangimentos, eles devem ir ao banheiro antes da consulta, pois as retenções hídricas podem aumentar as possibilidades de crise.

 

Palavras-chave: epilepsia, pacientes, dentista, médico, epilético, convulsão, anticonvulsivantes, Hidantal, orientação, tratamento, medicamento, epilepsia, epilépticos, dentista, implante dentario, 

FacebookEmailShare

Deixe um comentário

Close